sábado, 28 de maio de 2011

Tudo que sempre importou pra mim



Tudo que sempre importou pra mim, foi a confiança. Você quebrou a minha, e eu te perdoei. Tudo que sempre importou pra mim, foi a amizade. Você não me trata com a qual, e eu te perdoei. Qual a razão para eu passar por cima de todos meus princípios e ideais quando se trata de você? Ou, qual a razão para que você me trate dessa forma? Você se fecha em um mundo único, que só existe você mesma e quem você permite a entrada. Só não sei o motivo pelo qual eu não posso estar no seu mundo. Eu não sou tudo para você? Sua vida, a pessoa que te faz feliz? Isso tudo fica passando e repassando na minha mente... Quando se tem medo de perder alguém, a tendência é fazer de tudo para prender essa determinada pessoa a você, e não afastá-la cada vez mais. Eu fico horas pensando nisso, todos os dias; um relacionamento em que você não faz do seu parceiro seu amigo, em que você não conta as coisas para o mesmo. Eu sou um livro aberto contigo, eu te conto tudo. O que penso, o que faço ou o que deixo de fazer, e você... Bom, de você, nada. E aqui estou eu, a mais de uma hora olhando para esse texto sem saber o que escrever; é tão difícil colocar em palavras o que a gente sente. Queria que você chegasse um dia e me dissesse tudo que tu pensa, que todo os dias que nos falássemos tu me contasse tudo que aconteceu, tudo que tu sentiu.. Tudo. Mas isso é impossível, não sei o porque eu continuo na esperança de que tudo isso mudasse, nessa esperança idiota todo dia pensando que vai ser diferente, mas não é. Nunca é. Se for pra fazer isso dar certo, você vai ter que confiar em mim, você vai ter que se abrir comigo. Quero saber de você, quero saber da sua vida, quero estar ao teu lado o tempo inteiro, quero poder dizer que te conheço melhor que a mim mesma, afinal, você és a única coisa que importa pra mim. É só você que me importa. Eu não sou uma pessoa feita para sentir as pessoas longe de mim, isso me causa dor, me machuca. Me corrói por dentro. E essa maldita e estúpida esperança que insiste em continuar dentro de mim... Mas, se vai ser dessa forma, eu também sei colocar paredes ao meu redor, eu também sei viver no meu mundo, sozinha.

Um comentário: