sexta-feira, 27 de maio de 2011

A decepção, meu amor



Pelo visto a fixa ainda não caiu, ou então está com medo de encarar a realidade. 
Eu sou um ser humano, sabia? 
Eu tenho sentimentos, eu tenho um coração, e ele sofre muito por você. 
Tudo que você faz, ele ver.
Tudo que você diz, ele ouvi.
Tudo que você prometeu, ele de besta acredita, e isso é inaceitável, pois você faz tudo isso, sem se quer ao menos olhar pra trás, e ver aquela pobre menina suplicando-lhe ajuda.

A vida é uma coisa indiscutível, pois agora eu posso está sofrendo por ti, mas amanhã quem sabe, posso dar uma volta por cima, e te deixar nesse meu mundo de solidão. Ah, eu iria adorar vê a sua cara de infeliz, e poder sentir pelo menos uma vez na vida o prazer da vingança nesse maldito jogo que é a vida. 

Eu me descrevo como uma pessoa que se apega muito fácil as coisas, e já você... Autoconfiante, aquele que não precisa de ninguém pra ser feliz, aquela pessoa que, se vacilar, pisa mesmo. E eu vacilei. Entrei no teu jogo, me entreguei por completo, sem ao menos pensar no que poderia acontecer. O meu coração... Coitadinho, ainda tentou me avisar sobre a enroscada que estava se aproximando, e eu? Rejeite-o.
Hoje, eu sei que deveria tê-lo ouvido, e tanto eu como ele, sofremos. Mas eu aprendi muita coisa com isso, e você nem queira saber como eu me arrependo de ter derramado aquelas bobas lágrima por você. Por você não, mas sim pelo sentimento que carregava em meu peito, pela esperança que tinha de um dia ser feliz contigo.

E quer saber de uma coisa?
Se pra ti, eu era apenas uma pobre menininha tosca, aquela que te amava, e que faria qualquer coisa por ti, hoje não sou mais. Sou a brava e forte mulher, que te odeia.
Então, se dane baby.

meumundodefantasias.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário