quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Querido, diário.



Querido, diário.

As vezes acho que estou sozinho no mundo. Sabe, as vezes as pessoas te ouvem por esporte, por falta do que fazer ou por hobby. Eu falo e elas simplesmente não me entendem. Será que são analfabetos funcionais? Será que preciso dizer “por favor, só me abrace e diga que tudo ficará bem”? É, diário, acho que você é o único que me ouve, ou, pelo menos, não mostra total desinteresse pelo que te digo. Eu grito. Meus olhos gritam. Eles não ouvem? Eu ouço! Você ouve, não ouve?

Talvez você seja o único que se importe comigo de verdade.

A.D

Nenhum comentário:

Postar um comentário